sábado, 24 de junho de 2017

PALPITES DO BRASILEIRÃO - 10ª RODADA

Vamos para a 10ª rodada do campeonato brasileiro e conheça meus palpites.

SÁBADO - 24 DE JUNHO

19:00 - Vila Belmiro - Santos
SANTOSXSPORT - SANTOS


DOMINGO - 25 DE JUNHO

11:00 - São Januário - Rio de Janeiro
VASCOXATLÉTICO-GO - VASCO

16:00 - Morumbi - São Paulo

SÃO PAULOXFLUMINENSE - SÃO PAULO

16:00 - Mineirão - Belo Horizonte
CRUZEIROXCORITIBA - EMPATE

16:00 - Arena da Baixada - Curitiba
ATLÉTICO-PRXVITÓRIA - ATLÉTICO-PR

16:00 - Arena do Grêmio - Porto Alegre
GRÊMIOXCORINTHIANS - EMPATE

16:00 - Moisés Lucarelli - Campinas
Ponte PretaxPalmeiras - EMPATE

18:30 - Fonte Nova - Salvador
BAHIAXFLAMENGO - BAHIA

19:00 - Arena Condá - Chapecó
CHAPECOENSEXATLÉTICO-MG - ATLÉTICO-MG

SEGUNDA - 26 DE JUNHO

20:00 - Nilton Santos - Rio de Janeiro
BOTAFOGOXAVAÍ - BOTAFOGO


HISTÓRICO:

1ª RODADA - 6 ACERTOS - 60% DE APROVEITAMENTO
2ª RODADA - 4 ACERTOS - 40% DE APROVEITAMENTO
3ª RODADA - 3 ACERTOS - 30% DE APROVEITAMENTO
4ª RODADA - 7 ACERTOS - 70% DE APROVEITAMENTO
5ª RODADA - 7 ACERTOS - 70% DE APROVEITAMENTO
6ª RODADA - 6 ACERTOS - 60% DE APROVEITAMENTO
7ª RODADA - 4 ACERTOS - 40% DE APROVEITAMENTO
8ª RODADA - 4 ACERTOS - 40% DE APROVEITAMENTO
9ª RODADA - 

TOTAL: 41 ACERTOS EM 80 JOGOS - 51,25% DE APROVEITAMENTO


quinta-feira, 22 de junho de 2017

NOTA DA FRENTE ALVINEGRA

Eleições no Botafogo: por um processo aberto, transparente e participativo!

Em apenas cinco meses, os sócios do Botafogo serão chamados às urnas para eleger o novo presidente do clube. Neste processo, também serão eleitos os novos membros dos conselhos diretor e deliberativo. Para que a sucessão se desenvolva de forma democrática, é importante que o processo seja logo deflagrado, de forma a permitir a realização de um debate transparente que, com ampla participação, ajude ao clube a discutir alternativas e caminhos para o enfrentamento dos enormes desafios que temos postos diante de nós.

Na visão da Frente Alvinegra, tem prevalecido no clube um ciclo vicioso que precisa ser rompido. Se olharmos para as últimas eleições, veremos que estas foram marcadas por um baixo nível de participação dos associados, cujo envolvimento no debate sobre os destinos do clube deixa muito a desejar.

É preciso abrir o clube!

Temos propugnado, de forma contumaz, que profissionalismo, democracia, ética e transparência devem ser bases constitutivas da gestão do Botafogo. De forma semelhante, temos advogado que, para a superação da grave crise financeira que aflige o clube, precisamos contar com o efetivo apoio de nossa torcida. Não por outro motivo fomos pioneiros na defesa do direito a voto do sócio torcedor. 

Um maior protagonismo da torcida na definição dos rumos do Glorioso não só oxigenará e democratizará profundamente a vida interna do Botafogo, como também solidificará laços de apoio e solidariedade, fundamentais para ampliar nossa capacidade de gerar novas receitas. Ou alguém pensa que teremos condição de superar as adversidades sem o apoio de nossa torcida? 

É preciso abrir o debate!

Todavia, enquanto esse verdadeiro processo de abertura que propomos não vira realidade, consideramos perfeitamente possível que as diferentes correntes do clube empreendam esforços para impedir que o processo eleitoral se limite à participação do pequeno número de sócios de sempre. E, para que o horizonte de participação seja alargado, urge que o debate sobre a sucessão seja aberto imediatamente.

A Frente Alvinegra entende que o momento vivido pelo clube exige uma demonstração de maturidade e de desarmamento de espíritos. Faz-se necessário um esforço sincero de aglutinação, visando unificar o maior número possível de botafoguenses, em torno do projeto maior de soerguimento do Botafogo. Precisamos superar os enormes obstáculos administrativos, econômico-financeiros e esportivos que ainda impedem o clube de se reencontrar com seus dias de glória.

Reconhecemos os méritos da diretoria encabeçada pelo presidente Carlos Eduardo Pereira em relação aos resultados esportivos, especialmente os do futebol, cuja expressão mais visível é a recuperação da autoestima do nosso torcedor. No entanto, em que pese o importante esforço da atual direção para evitar a insolvência do clube, a situação da dívida ainda é alarmante, mesmo com o alívio trazido pela decisão acertada de aderir ao PROFUT e voltar para o ato trabalhista. 

Enfim, o esforço realizado para se apertar o cinto, evitando-se gastar mais do que se arrecada, foi louvável e deve ser preservado. Mas sem ações efetivas que nos permitam ampliar radicalmente a capacidade do clube de atrair investidores e gerar novas receitas, corremos o sério risco de matar o paciente por asfixia. Este ano sobrevivemos em função da antecipação de receitas de contrato com a Globo. Como atravessaremos os próximos? 

A hora, portanto, é de abrir o debate! Precisamos valorizar as convergências e, na medida do possível, deixar de lado as divergências. Em nome do Botafogo, vale a pena apostar no que nos une, sem que seja preciso abdicar da identidade de cada um.  

Dessa forma, apelamos às diferentes correntes do clube e, em especial, aos atuais mandatários, para que se inicie, imediatamente, o processo sucessório. Precisamos garantir uma eleição na qual os sócios proprietários, e também os botafoguenses espalhados pelo país, não fiquem alijados do debate. Da mesma forma, precisamos de um processo no qual os diferentes agrupamentos do clube possam estabelecer um diálogo respeitoso e transparente, que acima de eventuais projetos pessoais, leve em conta os interesses maiores do Botafogo.

Vamos somar esforços para conduzir o Botafogo de volta ao seu panteão de glórias, nacionais e internacionais. Só depende de nós!!!

Rio de Janeiro, 15 de junho de 2017

FRENTE ALVINEGRA

quarta-feira, 21 de junho de 2017

PALPITES DO BRASILEIRÃO - 9ª RODADA

Chegamos a 9ª rodada do campeonato brasileiro, tudo continua muito embolado e com resultados surpreendentes. Na rodada passada os visitantes fizeram a festa. Vamos aos meus palpites:

QUARTA - 21 DE JUNHO

21:00 - Estádio Nilton Santos
BOTAFOGOXVASCO - BOTAFOGO

19:30 - Barradão
VITÓRIAXSANTOS - VITÓRIA

21:00 - Arena Palmeiras
PALMEIRASXATLÉTICO/GO - PALMEIRAS

21:45 - Independência
ATLÉTICO-MGXSPORT - ATLÉTICO-MG

21:45 - Arena da Baixada
ATLÉTICO-PRXSÃO PAULO - ATLÉTICO/PR

21:45 - Ressacada
AVAÍXFLUMINENSE - EMPATE


QUINTA - 22 DE JUNHO

19:30 - Arena Corinthians
CORINTHIANSXBAHIA - EMPATE

19:30 - Moisés Lucarelli
PONTE PRETAXCRUZEIRO - PONTE PRETA

21:00 - Luso Brasileiro
FLAMENGOXCHAPECOENSE - EMPATE

21:00 - Arena Grêmio
GRÊMIOXCORITIBA - GRÊMIO

HISTÓRICO:

1ª RODADA - 6 ACERTOS - 60% DE APROVEITAMENTO
2ª RODADA - 4 ACERTOS - 40% DE APROVEITAMENTO
3ª RODADA - 3 ACERTOS - 30% DE APROVEITAMENTO
4ª RODADA - 7 ACERTOS - 70% DE APROVEITAMENTO
5ª RODADA - 7 ACERTOS - 70% DE APROVEITAMENTO
6ª RODADA - 6 ACERTOS - 60% DE APROVEITAMENTO
7ª RODADA - 4 ACERTOS - 40% DE APROVEITAMENTO
8ª RODADA - 4 ACERTOS - 40% DE APROVEITAMENTO

TOTAL: 41 ACERTOS EM 80 JOGOS - 51,25% DE APROVEITAMENTO

terça-feira, 20 de junho de 2017

OS REAIS OBJETIVOS DO GOLPE NO BRASIL

A partir de 2003, o Brasil passou a viver um processo virtuoso de distribuição de renda, diminuindo as desigualdades, a pobreza, o analfabetismo, democratizando o acesso as universidades e aumentando a inclusão social, parecia que o país iria entrar no grupo dos países desenvolvidos.

O EGOÍSMO DA CLASSE DOMINANTE


Mas o egoísmo da classe dominante brasileira é tanto, que incomodava a presença de pessoas que jamais eles tinham sequer chegado perto, a frequentar os mesmo lugares, como aeroportos, bares e restaurantes, além de seus filhos passarem a estudar com os filhos do povo mais pobre. Isto foi imperdoável!


O crescimento econômico também incomodava outras economias, que viam a brasileira apenas com um local onde pudessem ter a matéria prima e a mão de obra barata. 

O COMEÇO DA GRANDE ARTICULAÇÃO

Começou então uma grande articulação, com a máscara de combate a corrupção, que não é de um governo, e sim de um sistema que opera no Brasil a 500 anos, para derrubar o governo que vinha priorizando as pessoas, em detrimento do mercado financeiro.


Em 2007, o Brasil descobre petróleo na camada chamada Pré-Sal, estimada em R$ 20 trilhões, seria a independência e o passaporte para o futuro. O que fez o governo que priorizava as pessoas, aprovou que todos os recursos que viessem do Pré-Sal, seriam destinados ao desenvolvimento da educação e da saúde pública. O petróleo do Pré-Sal é 100% nacional, aprovado nas discussões do marco regulatório.


O APROVEITAMENTO DA CRISE ECONÔMICA

Em 2010, começou uma série de denúncias sobre corrupção na máquina pública, que era financiado pelas empreiteiras, e ai começou o processo chamado Lava-Jato. Ao mesmo tempo, a crise econômica internacional crescia, principalmente na Europa, com a crise do Euro. No mesmo período, o Brasil anuncia que pagou toda sua dívida externa, que tinha com banqueiros internacionais e assim se livrou da batuta do FMI, e isto desagradou o sistema financeiro internacional, principalmente o americano, que tinha dinheiro fácil com os juros da dívida brasileira.

Em 2012, denuncias de espionagens da NSA sobre a presidenta Dilma Rousseff e os principais diretores da Petrobrás.

MOMENTO VIRTUOSO E ATAQUES BRUTAIS


Em 2013, A taxa básica de juros, cai para 7,25%, o menor patamar da história. O IBGE, registra pela primeira vez na história, o pleno emprego no Brasil, ou seja, uma taxa de 4,75% de desempregados. Podia se dizer que quem procurava emprego achava. Mesmo com toda boas notícias, a grande mídia brasileira, controlada por apenas seis famílias bilionárias, começou a incentiva grandes manifestações de rua, com o slogan de combate a corrupção. Em menos de três meses, aprovação da presidenta Dilma, cai de 80% para 40%, isto meses antes das eleições.

NÃO ACEITARAM A DERROTA NAS URNAS



Em 2014, vem a primeira fase da Lava Jato e a presidenta Dilma Rousseff se reelege por uma pequena diferença de votos. Os derrotados, depois de toda campanha contra, não aceitam a derrota e buscam destabilizar o governo com ações na judiciário, legislativo e um "bombardeio" no noticiário jornalistico, em todos os grandes meios de comunicações, com único objetivo de derrubar o projeto político em curso, e não a falada luta contra a corrupção. Afinal, agora apoiam um governo realmente corrupto, e querem trocá-lo apenas para implementar o projeto que foi derrotado nas urnas em 2014.

AS MANIFESTAÇÕES DE RUA

Era preciso criar algumas entidades que pudessem legitimar todo este processo de mobilização das ruas. Criaram então, o MBL, Vem Pra Rua, Revoltados Online e Nas Ruas, que passaram a liderar chamamento das manifestações, com a mídia fazendo a grande cobertura. As panelas batiam, são as mesmas que hoje estão guardadas em silêncio profundo.

O EDUARDO CUNHA E O CONGRESSO


Na outra parte, o corrupto do Eduardo Cunha paralisou a Câmara dos Deputados, e nada do governo mandava de projeto para enfrentar a crise econômica, era aprovado. Assim a crise e o desemprego aumentaram e a popularidade da presidenta caia mais. O cenário para a derrubada da presidenta e do projeto que se iniciou em 2003, estava pronto.

Hoje, ouço muita gente dizer, que nada disto estaria acontecendo se a Dilma tivesse feito um acordo com o Eduardo Cunha. Então ela foi derrubada pelas suas virtudes e não pelos seus defeitos.

A MÍDIA AUMENTA A NARRATIVA DA CRISE


Ainda em 2015, em plena crise, os empresários param de investir, a mídia aumenta e alimenta a narrativa da crise, que agora ela tenta esconder, inclusive mentindo, dizendo que o país está dando demonstrações de crescimento. Foi aprovado no Congresso, a PEC da Bengala, que impediu a Dilma de indicar novo membro para STF.

Entrando em 2016, a operação Lava Jato, chega no centro do governo federal, em especial ao partido dos trabalhadores. O STF se cala no processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

DA MORTE DO MINISTRO, A ENTREGA DO PRÉ-SAL


Em 2017, morre num acidente estranho, o ministro do STF, que vinha sendo contra ao processo seletivo da Lava Jato, de investigar apenas partidos e pessoas ligadas ao governo, poupando a oposição. Logo após a morte do ministro, Temer indica um tucano para o seu lugar no STF. Governo muda o marco regulatório do Pré-Sal e entrega nossas riquezas as petrolíferas internacionais. Aprova o fim da educação universal e do Sistema Único de Saúde-SUS. Colocam em debate no Congresso Nacional, as Reformas da Previdência e Trabalhista, além de aprovarem a PEC da Terceirização, que praticamente acaba com a carteira de trabalho. Não satisfeitos, fatiam uma das maiores empresas de petróleo do mundo, a Petrobrás, preparando a sua entrega ao capital internacional. 

Ainda houve a troca do Comando Militar, por um mais adepto ao processo "linha dura", preparando a repressão as manifestações de ruas que estavam por vir. Afinal, a classe trabalhadora e suas entidades de representação, não poderiam ficar calados com todos os ataques aos seus direitos elementares, como trabalhadores.

ATAQUES A QUEM RESISTE A ENTREGA DO PAÍS AO CAPITAL INTERNACIONAL


Roda no Congresso um Projeto de Lei  que modifica a data das eleições no país, passando de 2018 para 2020. Brasil volta a realizar exercícios conjuntos na Amazônia, com os EUA. Nas manifestações contra as reformas, manifestantes são presos e agredidos covardemente em todo o país. Índios sofrem chacinas e atacam diversas lideranças sindicais.

Os trabalhadores do Brasil, realizam a maior Greve Geral da história, contra o governo golpista e as reformas. Estamos ainda no meio do ano de 2017 e muita coisa ainda vem pela frente. Mas a verdade é que boa parte da população ainda não percebeu o que está em curso no país. Hoje o trabalhador busca a sua sobrevivência diária, nem consegue ter tempo para pensar em reagir aos ataques. 

DE VIRA-LATA, A INDUTOR


De 2003 até 2014, o Brasil passou a ser um país que estava disputando espaço na economia global, com diversas empresas comprando multinacionais, inclusive em território americano. O Brasil sair da política econômica vira-lata, para um país concorrente, desagradou muitos poderosos do capitalismo mundial, que olham para a nossa nação, apenas como forma de aumentar sua exploração e suas riquezas. Era preciso fazer algo e fizeram, agora o Brasil vem sendo entregue a preço de banana, como sempre foi em quase toda a sua história.  


Mas não vejo outra saída a não ser resistir e fazer o povo acordar, antes que seja tarde demais e a classe dominante passe a ter mais riqueza e o povo fique ainda mais pobre.     

Entendeu ou precisa desenhar?

Fonte: texto do Fernando Horta Professor de História da UNB