sexta-feira, 10 de março de 2017

QUEREM REALMENTE PACIFICAR O FUTEBOL?

Amigos e familiares na despedida do Diego
No último dia 12 de fevereiro, uma batalha campal aconteceu ao redor do Estádio Nilton Santos, entre as torcidas do Botafogo e Flamengo. Muitos fatos foram ignorados pela grande mídia e até hoje a morte do torcedor alvinegro, foi relegada a segundo plano, por interesses comerciais.

Eu estava lá e assisti as cenas de selvagerias, onde famílias inteiras de alvinegros foram covardemente agredidas no Setor Oeste do estádio.

Uma parcela da torcida rubronegra, desceu do trem e veio em direção ao Setor Oeste, onde só tinha torcedores com suas famílias e amigos. Ali não tinha um membro sequer de alguma torcida organizada do Botafogo, que se encontravam no Setor Norte, onde já tinha tido o enfrentamento entre as duas torcidas. 

No Setor Oeste teve de tudo, roubo e agressões fortuitas, com pais apanhando na cara, vendo seu filho, menor de idade, ter sua camisa furtada. Mas o pior assisti depois, quando vi uma mulher perder a camisa e ficar apenas de sutiã e um cadeirante ser derrubado da cadeiras de rodas e a mesma ser usada como arma na briga, já que naquele momento, os membros das torcidas organizadas do Botafogo vieram do Setor Norte.

CADÊ O ASSASSINO DO ALVINEGRO DIEGO?

Foi Barbárie pura, no final, além de vários feridos, tivemos a morte do alvinegro Diego e até hoje nada foi apurado. Os assassinos que deram tiros e desferiram diversos golpes com um espeto de churrasco no peito e na garganta da vítima.

O assassino está solto e deve ter ido se divertir no FlaxFlu realizado no mesmo estádio que dias antes praticou o crime. É com a indignação da impunidade e com respeito a família da vítima, que o presidente do Botafogo pretendia evitar que o assassino voltasse a frequentar o estádio do clube.

A opinião pública, mais uma vez é manipulada pela grande mídia, com um discurso de sobrevivência e pacificação do futebol. Tudo para "inglês vê" e atender os interesses comerciais dos principais meios de comunicações. Mais um vez a vida fica em segundo plano.

Se quiserem passar um recado para as famílias que pretendem voltar aos estádios, precisam sair do discurso fácil, os assassinos precisam ser presos e com uma punição muito dura. Só assim a sociedade vai acreditar que agora em diante será diferente.

Podem debater que a atitude do presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, poderia ser com outra ênfase, mas não posso deixar de dizer que foi o único que colocou o dedo na ferida. O Botafogo, tem o direito de cobrar a punição aos assassinos do torcedor alvinegro e o respeito a sua pobre família, que não tinha recursos nem para enterrar seu filho e só conseguiu, porque vários alvinegros se cotizaram. O Botafogo tem o direito de escolher quem ele quer deixar jogar no seu estádio, concordem ou não. Acho que parcela da mídia ficou mal acostumada de ver um Botafogo submisso e que não lutava pelos seus direitos.

Os Brasileiros lutam para manter seus direitos e porque os alviengros seria diferente?

O assunto sumiu na grande mídia, afinal os interesses comerciais já foram atendidos. Mesmo contra tudo e todos, vamos continuar cobrando a punição dos assassinos do Diego. A diretoria do Botafogo deveria pensar em algo grande para o jogo da Copa Libertadores no próximo dia 14. Assim o clube vai reafirmar o seu verdadeiro compromisso com o esporte mais popular do Brasil.

Um comentário:

  1. EDUARDO DIAS FOGÃO10 de março de 2017 18:05

    Duvido que a Globo e seus parceiros querem alguma punição.

    ResponderExcluir

Obrigado pela participação!