terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

A PAUTA DOS DERROTADOS

O governo Dilma cometeu um erro histórico ao privatizar os terminais dos aeroportos de Cumbica, em Guarulhos, de Viracopos, em Campinas e o Juscelino Kubitschek, em Brasília, que juntos respondem por 30% da movimentação dos passageiros, 57% da carga e 19% das aeronaves do sistema brasileiro. Estes três terminais praticamente mantiam todo o setor com sua lucratividade, com a entrega o sistema perde o equilíbrio e a sua viabilidade econômica. Quem vai arcar agora com os custos dos demais terminais deficitários? Novamente a mãe de todos o governo, com os nossos impostos.

Durante a entrega na Bolsa de Valores de São Paulo, na porta, manifestantes do Sindicato Nacional dos Aeroportuários (SINA), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central de Movimentos Populares (CMP), Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Partido dos Trabalhadores (PT) e Partido Pátria Livre (PPL) gritavam a palavra de ordem:  "Dilma, eu não me engano, privatizar é coisa de tucano".

"É preciso falar o português claro, pois não tem sentido nenhum dar dinheiro público para os estrangeiros virem tomar o que é nosso. Infelizmente é o patrimônio do Brasil que está sendo entregue pelo governo que nós ajudamos eleger. É a pauta dos derrotados, vindo com força", denunciou Francisco Lemos, presidente do SINA.

Como sintetizou o secretário de Administração e Finanças da CUT Nacional, Vagner Freitas, "a privatização dos aeroportos representa um descarrilhamento do governo".

"A proposta neoliberal de sucateamento do patrimônio público e abertura ao capital internacional foi derrotada nas urnas, pois todos sabemos o que significou a privatização da telefonia, da energia e da siderurgia. Neste momento em que o país precisa crescer e se desenvolver para enfrentar os impactos da crise internacional, não podemos permitir o retrocesso. Ao privatizar os aeroportos, o governo não está sendo leal com o voto das urnas e a CUT não vai admitir esta violência", ressaltou Vagner.

O governo Dilma, disse que não tinha dinheiro para modernizar os aeroportos, mas esta privatização tem o apoio do BNDES que entra com 80% do capital, isto é um absurdo.

5 comentários:

  1. O primeiro parágrafo está ERRADO. O contrato prevê que os aeroportos sob concessão vão subsidiar os deficitários.

    Não vale a pena aprofundar a discussão do papel do BNDES. Quando a gente concorda, lembra que a grana vai voltar com juros. Quando discorda, diz que é uso indevido de dinheiro público. Assim não dá.

    A pauta dos derrotados era outra. Era vender Petrobras, BB, CEF. Os aeroportos não são estratégicos e atendem fundamentalmente a um pequeno público. O Estado deve ter outras prioridades, você não acha? 24 bi é mais ou menos metade do investimento em infraestrutura no ano passado. Dá para fazer muita coisa em benefício de quem precisa.

    O resto é papo de sindicalista. Respeitável, sem dúvida, mas corporativo.

    ResponderExcluir
  2. Sem essa de desculpas para privatizar. A tucanada deve estar batendo palmas. De que adianta criticar e cometer os mesmos erros ? Esse é um estratégico e não deveria ser privatizado. O BNDES deveria sim financiar a infra dos aeroportos, mas com controle do estado. A familia de milhões de empregados nesse setor agradeceriam !!!

    ResponderExcluir
  3. Marlene Mathias AMAB9 de fevereiro de 2012 12:16

    Os Petistas são engraçados, quando era no governo do PSDB era privatização, no governo deles é concessão. Tenho admiração pelo Vinícius pela sua coerência, e não passa a mão na cabeça nem do seu partido qunado ele comete certos erros. Deixo claro que sou também contra as privatizações (não totalmente)e alguns setores devem ficar mesmo nas mãos do estado.

    ResponderExcluir
  4. O pensamento binário é sempre mais fácil.

    ResponderExcluir
  5. deu na tribuna de imprensa.
    Comunistas do PCB agora querem escrever um livro sobre a 'Privataria Petista'
    http://www.tribunadaimprensa.com.br/?s=pcb

    ResponderExcluir

Obrigado pela participação!