segunda-feira, 19 de maio de 2014

O BRASIL DE ANTES E AGORA: GERAÇÃO DE EMPREGO

Periodo do Governos do PT
Estaremos periodicamente, fazendo algumas comparações do Brasil de 2002, do Sociólogo Fernando Henrique Cardoso, o queridinha das elites e da mídia brasileira e o Brasil de agora, do governo do PT, do Lula e da Dilma, que a mídia tentar transformar no pior governo da história, que o Brasil é o pior país do mundo para se viver. Deve ser para eles mesmo, afinal são avessos a distribuíção de renda e repartir espaços que antes eram apenas "deles", como shoppings e aeroportos.
 
COMO FHC DEIXOU O BRASIL
 
A primeira comparação é a geração de empregos e renda do Brasil. Lembro bem que em 2002, quase todos os meus amigos estavam desempregados, os trabalhadores amargavam altas taxas de desempregos, com até concursados sendo demitidos de empresas públicas, - aquelas que não eram entregues a iniciativa privada - altos índices de violência, miséria e a favelização das grandes cidades aumentando em índices arlamantes. A renda do trabalhador achatado com a desculpa de que salário era inflacionário. Vamos aos números:
 
O DESEMPREGO DESPENCA NOS ÚLTIMOS ANOS
 
Em 2002 o Brasil tinha uma taxa de desemprego de quase 11% e tinha um viés de alta, tanto que no ano seguinte esta taxa chegou a 12,4%. A partir dai, quando a mudança da política econômica (que a mídia insiste em dizer que é a mesma), o país começou a investir no seu povo, aumentando sua renda, gerando mais consumo e aumentando a oferta de empregos. No mês de dezembro de 2013, chegamos ao patamar de uma taxa de 4,3%, em algumas regiões do país, esta taxa chegou a 3,5%. Estamos entrando no Pleno Emprego!
Números do desemprego em 2013
A RODA PASSOU A GIRAR AO CONTRÁRIO
 
Com isto o Brasil fez o roda girar ao contrário, gerando e aumentando a renda do trabalhador, ele passou a consumir mais e assim as empresas passaram a produzir mais e gerar mais ofertas de empregos e assim sucessivamente, é só olhar o gráfico das taxas de desempregos do Brasil até 2013. Vem caindo fruto de um governo que pensa em seu povo, que olha para o povo trabalhador.

A CRISE E A MÍDIA
 
Olha que o mundo neste período entrou em crise e braba. Com a Europa e Estados Unidos, batendo recordes de desemprego, crise esta que até hoje nção foi solucionada. Quem não se lembra da frase do Lula, que no Brasil, a crise seria uma "marolinha". A mídia caiu de pau e depois nunca mais falou sobre o assunto e agora vem tentando, a dois anos seguidos, criar uma crise para destabilizar o governo e assim tentar retomar o governo com seus aliados tucanos.
 
O Brasil tá aí, gerando emprego, renda e melhoria de vida para seu trabalhador, só não ver, quem tem outros objetivos, que não seja termos um Brasil mais justo e solidário.

4 comentários:

  1. Muito boa esta postagem, o pivô brasileiro na hora H, saberá quem vem mudando o país.

    Patricia Melo

    ResponderExcluir
  2. Sinceramente eu não consigo compreender como o povo brasileiro está com um sentimento que tudo está ruim com um Brasil crescendo, gerando empregos e renda e melhorando a vida de todos. Fico pasma com isto. Acho que o povo em algum momento antes da eleição irá fazer a sua reflexão e não deixará o Brasil retroceder.

    ResponderExcluir
  3. Ronaldo Borges / CRF19 de maio de 2014 18:31

    Vinicius sabe o quanto te respeito e te admiro, mas sabe que o seu PT decepcionou muito no governo, principalmente na questão da ética. Você irá colocar um gráfico sobre a corrupção. Este será de aumento!

    ResponderExcluir
  4. Ronaldo o que aumentou no país foi as investigações dos crimes que antes eram jogados para debaixo do tapete. Olha amigo, você é bancário do banco do Brasil e vou te dizer uma coisa, se o PT perder este governo não sobrará pedras sob re pedras na sua empresa. Isto não é terrorismo eleitoral, é história e o candidato tucano vem dizendo isto aos empresários. "Estado mínimo" Deu para entender!
    Tenho a certeza que você e a maioria do povo brasileiro, na hora H irá manter o Brasil na rota do desenvolvimento e na distribuição de renda!

    ResponderExcluir

Obrigado pela participação!